E-mail

ATENÇÃO! NOSSO E-MAIL MUDOU!!! PARA ENTRAR EM CONTATO, ESCREVA PARA: espanadores@gmail.com



segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

[Mania de listas] Luara e suas melhores leituras

Por: Luara França

1. Iniciantes – Raymond Carver (ed. Cia das Letras)

Minha paixão de 2014 não poderia ser outra. O livro que mais mexeu comigo no ano e que tem o melhor começo de conto de todos os tempos (a saber: “That morning she pours Teacher's over my belly and licks it off. That afternoon she tries to jump out the window.”).

2. O que amar quer dizer – Mathieu Lindon (ed. Cosac Naify)

Uma leitura linda que foi indicação do Kalebe. Um livro bonito, emocionante e gentil. Quero dar de presente para todos os meus amigos. (resenha do Kalebe)

3. Verão – Coetzee (ed. Cia das Letras)

Acho que já disse isso, para mim Desonra é o livro do adolescente que sai batendo em todo mundo e ferindo o quanto der, enquanto Verão é o livro do adulto que causa sofrimento sem dar porrada, com um verniz de sutileza. Gosto mais do segundo. (resenha no Ao rés do chão)

domingo, 21 de dezembro de 2014

[Mania de Listas] As leituras gastronômicas da Danusa

Por: Danusa Penna
Amigos d'O Espanador, a pessoa da culinária veio com sua listinha de coisas legais feitas este ano. Aqui vai:

5. Os Ignorantes – Étienne Davodeau (ed. WMF Martins Fontes)

Quadrinhos que conta a troca de experiência de um quadrinista e um viticultor. No fim das experiências tem indicação de quadrinhos e vinhos para serem vivenciados. Felipe da Livraria da vila de Campinas que ama quadrinhos disse que o desenho é muito bem feito. (resenha do Kalebe aqui)

4. Pense no Garfo!: uma história da cozinha e do que comemos - Bee Wilson (ed. Zahar)

Bee Wilson é uma pensadora da culinária e traça, com uma visão antropológica, como certos objetos culinários se desenvolveram. Como, por exemplo, as facas personalizadas penduradas na cintura na Idade média, viram facas sem corte para mesas nos dias atuais. Até como um simples pilão virou no dia de hoje uma Batedeira Kitchen Aid capaz até fazer massas caseiras de macarrão. Uma das melhores apostas da Jorge Zahar.

sábado, 20 de dezembro de 2014

[Mania de listas] Lista Kalebe

Esse ano os contos entraram definitivamente para a minha lista de leituras favoritas. Foram ótimos contos esse ano. Não tanto romances, mas mesmo assim foi um ano de boas leituras.

Ah, e é claro que os quadrinhos estão em alta. Por isso um Top 10 só pra eles. Quero saber o que vocês acharam da minha lista.


1 - Iniciantes - Raymond Carver (Ed. Companhia das Letras)
Livro devastador. Contos sobre o cotidiano, aquelas coisas que parecem quase insignificantes mas que preenchem boa parte das nossas vidas. Escrita que parece ser simples, mas não se engane. A cada conto ler, é uma história que vai acabar com você. Personagens horríveis e profundamente humanos.

2 - O que amar quer dizer - Mathieu Lindon (Ed. Cosac Naify)
A maior surpresa do ano. Livro que nasce como uma homenagem ao grande Michel Focault, mas vai muito além disso e o torna um livro sobre a amizade, o amor, sobre a dificuldade de crescer, sobre as mudanças que passamos... Um livraço. (resenha aqui)

3 - Ódio, Amizade, Namoro, Amor e Casamento - Alice Munro (Ed. Biblioteca Azul / Globo Livros)
Quando eu li esse livro ainda em abril eu já sabia que ele estaria aqui entre os 3 primeiros desta lista. Os contos de Munro têm um olhar único sobre a banalidade das nossas vidas. E transforma isso em grande literatura. Esse foi o ano que eu me apaixonei pelos contos. (resenha aqui)

4 - O Africano - J. M. G. Le Clézio (Ed. Cosac)
Talvez o livro que tenha a 1ª página mais linda que eu já vi. Um relato emocionante e duro sobre a história do próprio pai (a parte que ele imagina a história dos pais é das coisas mais lindas). (resenha aqui)

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

[Mania de listas] A lista do Milk

Por: Bruno Leite
Olar. Falir comigo meus amigo.

Pra jogar uma pá de cal GOS TO SA nesse ano ME DO NHO vamos fazer uma listinha com as melhores leituras, Brasil? VAMAAAAAS !!!!!

Bem, como nos anos anteriores, permaneço na teimosia de listar só os lançamentos desse ano como forma de apoiar essa galera cabeçuda e linda que tá ai na correria do dia-a-dia literário. Nesse ano quase sabático, aproveitei muito do meu tempo livre para ler o que eu já tinha adquirido em tempos anteriores para ler o que eu já tinha na prateleira. Quero poder destacar Estudos Sobre a Literatura Clássica Americana do muso D. H. Lawrence - primeiro livro do ano e um dos melhores livros de crítica que eu já li na vida; A Cozinha Vegetariana Para Todos da Rose Elliot e foi disparado o melhor livro de culinária do ano também - ambos os livros editados pela Jorge Zahar. Também li o Kraus Project do meu muito bem amado Franzen, o texto está aqui e assim q ele for traduzido eu coloco ele na lista com os outros lançamentos todos. Houve um período em que eu li muitos livros de música, alguns não foram resenhados, mas os melhores estão nesse texto aqui . Também sofri de paixonite por húngaros; eles são incríveis, mas falarei mais depois. Vamos aos eleitos?

Max Perkins - um editor de gênios - A. Scott Berg (ed. Intrínseca)

QUE DELÍCIA. FIM.
Confesso que ainda não terminei de lê-lo, mas não consigo pensar numa surpresa melhor do que essa. Lançado recentemente pela Intrínseca, o livro conta a história de Max Perkins - um sujeito excêntrico, de modos simples, que revolucionou o modi operandi da editoração, sendo gentil ao fazer observações, paterno nas correções, aberto aos novos rumos que a literatura começou a tomar no início no séc. XX sendo ele responsável pela publicação de grandes nomes como Fitzgerald, Hemingway e Wolfe. A biografia de Max não se presta a render apenas uma homenagem ao grande mestre, muito menos em ser documental, mas antes de tudo é um livro sobre um dos períodos mais encantadores da produção literária americana. Assim que ele for devidamente terminado, faço uma resenha especialíssima sobre o livro e os personagens nele envolvido #promessadefimdeano

Americanah - Chimamanda Ngozi Adichie (ed. Cia. das Letras)

Não há o que dizer sobre esse livro e sua autora. Chimamanda e sua obra são absolutamente irretocáveis, extremamente necessárias para os dias atuais, contundentes, precisas, graciosas e criativas. O livro conta a história de Ifelemu - uma das melhores pessoas que conheci esse ano - uma nigeriana que mora há algum tempo nos EUA e que coloca relatos dos pequenos absurdos que nós - minorias - ouvimos acerca de feminismo, questão racial, desigualdade social entre outras. Em tempos onde até no nosso plenário se fala de estupro como uma coisa casual - tanto quanto amarrar cadarços - esse livro surge com um certo sentido urgência para melhor compreensão de questões elementares para a evolução dos direitos humanos.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

[Mania de listas] Os livros (e games) do Antônio

Por: Antônio Xerxenesky
Assim como ano passado, pedimos ao Antônio que nos dissesse quais foram suas melhores leituras e quais foram os melhores games do ano. Abaixo, as preciosas dicas:

Melhores livros que li no ano:


1) Clans of the Alphane Moon -  Philip K. Dick (ed. Mariner Books)
Nunca dei bola para esse romance do K. Dick, sempre achei que fosse um livro menor. Que engano! Li por acaso e acabou virando um dos meus favoritos. A distopia de um mundo governado pelos considerados "doentes mentais" é das invenções mais geniais dele.

2) Cantiga de Findar - Julian Herbert (ed. Rocco)
Romance impactante deste mexicano. Um dos melhores livros deste selo Otra Língua, que tem publicado muita ficção latina de qualidade no Brasil.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

[Mania de listas] As melhores leituras da Ju

Mais uma vez achei que não teria livros pra preencher uma lista de dez melhores leituras do ano. Mas é engraçado como tantos livros que, assim que terminei de ler, foram crescendo na minha cabeça, ganhando mais valor... No fim das contas tive que roubar muito... Pra poder encaixar tudo aqui e ainda teve coisa que ficou de fora...

Mas vamos às minhas listas (no plural mesmo...)

10- Você vai voltar pra mim e outros contos - Bernardo Kucinski (ed. Cosac Naify)

No ano em que lembramos os 50 anos do golpe militar, acho que este foi o único livro que li sobre o tema. Estranho... Pois é um tema que me interessa. Mas este livro de contos do Kucinski traz um olhar diferente sobre o assunto. Diferentes vozes narrativas contam como foram os anos da ditadura no país. Tocante e necessário! (resenha aqui)

9- Empate técnico Verão/Jane Eyre - J.M. Coetzee/ Charlotte Brontë (ed. Cia. das Letras/ Best Bolso)

Meu deussss! Como foi difícil escolher um representante para o nosso lindo e querido clube de leitura! A coisa foi tão tensa que lá embaixo tem mais um do [Leituras Compartilhadas]. Este ano lemos muitas coisas lindas e os encontros foram igualmente sensacionais! Queria que minha lista também tivesse espaço pro Marai e seu As brasas e pro Amós Oz e seu bafônico Caixa Preta, mas infelizmente eles ficaram "de fora". Os livros que coloquei no empate são bem diferentes entre si. Verão, do Coetzee, foi uma delícia e uma descoberta. Uma biografia sobre o autor J.M. Coetzee, já morto, contada pelas mulheres que o conheceram e se relacionaram (sempre de forma desastrosa) com ele. Autorreferente, irônico e ácido... Coetzee, eu sei que você não é muito sociável, mas dê cá um abraço! Já Jane Eyre... que coisa mais maravilhosa! O pensamento feminista já está ali. Tantas coisas que ainda discutimos e a menina Charlotte já colocava em seu romance... Amor define.

8- Eleanor & Park - Rainbow Rowell (ed. Novo Século)

Fazia tempo que um juvenil não me animava tanto. Não porque o livro seja todo feliz, pelo contrário, mas porque é uma coisa tão sensacional que eu queria ter lido aos meus 15 anos. Tem como não amar Park e suas mixtapes e quadrinhos emprestados?

7- O torreão - Jennifer Egan (ed. Intrínseca)

O outro livro do [Leituras Compartilhadas] aqui da lista. Já tinha lido o fantástico A visita cruel do tempo e quando soube que O torreão antecedia o mais famoso romance da autora, não tive tanta curiosidade para ler. Mas ele foi votado para encerrar o ano do clube. E ao contrário do "histórico maníaco de expectativas da Juliana", consegui desligar o botãozinho "isso não vai ser melhor que A visita... " e gente! Que livro incrível. Egan brinca com o leitor e suas suposições, as camadas narrativas já estão lá... Enfim. Recomendado! (resenha do Menezes)

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

[Mania de listas] As melhores leituras da Michelle

Todo fim de ano aqui no blog é essa alegria. Convidamos pessoas queridas e também listamos as nossas melhores leituras. Fazemos isso por dois motivos muito simples: 1) ADORAMOS uma lista e não queremos perder a oportunidade de usá-las por aqui; 2) além das resenhas que colocamos no blog, achamos que as listas trazem ótimas indicações.

Nossa maratona de listas começa hoje. Para mostrar que, apesar de tudo, 2014 teve coisas boas! Quem dá o start na maratona é a linda da Michelle Henriques.

Divirtam-se :)

10) Eu, Christiane F., a vida apesar de tudo - Christiane V. Felschrinow com Sonja Vukovic (ed. Bertrand Brasil)

O primeiro livro da Christiane F. foi o responsável pelo meu amor pela Literatura. Depois dele eu conheci vários autores e comecei a ler muito, então voltar a ela depois de 16 anos foi uma ótima experiência. Claro que não é um clássico como foi o primeiro, mas achei bastante interessante saber o que houve depois do fim do primeiro livro.  É um daqueles que você lê de uma tacada só, com grande curiosidade.

09) As Brasas - Sándor Márai (ed. Cia. das Letras)

Acho que a melhor parte de fazer parte de um clube de leitura é conhecer novos autores. E esse foi o caso de Sándor Márai. As Brasas foi o primeiro romance dele que li e me apaixonei de cara pela escrita dele. O clima de tensão é muito bem construído e o tema da amizade é muito bem discutido.

08) Precisamos Falar Sobre o Kevin - Lionel Shriver (ed. Intrínseca)

Como muitas pessoas, meu primeiro contato com essa história foi através do filme. Nesse ano tive a oportunidade de ler o livro e que surpresa. Demorei meses para concluir a leitura, pois o enredo é muito arrastado, mas não digo isso de forma negativa. A Lionel Shriver vai construindo uma linha do tempo através de cartas, então o tom emocional é muito pesado. E o final é simplesmente incrível.

07) Jane Eyre - Charlotte Brontë

Mais um clássico que estava parado na minha estante e finalmente tive a oportunidade de ler. E que livro! Os princípios de ideias feministas estão ali. Claro que no final é aquela coisa bonitinha e redondinha, mas que ótimo ler sobre uma heroína “feia” que conseguiu se virar sozinha durante praticamente o livro todo, algo muito raro levando em consideração a época de publicação da obra.

06) História do Olho (Georges Bataille)

Não sou a maior apreciadora da literatura erótica, mas esse aqui me conquistou, talvez pela alta carga de bizarrice. Neste livro Bataille transformou suas fantasias mais obscuras em uma novela bem interessante sobre a descoberta sexual de dois jovens.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

[Colaboradora] Minha Festa de Faz de Conta

Por: Danusa Penna
O livro Minha Festa de Faz de Conta conta a história de Lola de 10 anos que vive brincando com a mãe na cozinha. Elas, então, começam a convidar personagens da ficção para fazer a festa de desaniversário, como em Alice no País das Maravilhas, em que o dia a dia é nosso desaniversário. 

O livro é uma delicia, conta detalhadamente que utensílios usar e como fazer. Desde que trabalho em livraria, brinco que, às vezes, é necessário ser meio Mary Poppins para arrumar as estantes. E é nessa personagem que a receita de hoje é inspirada.

Fizemos cupcakes por que aposto que os leitores d'O Espanador morrem de vontade de tentar fazer estes minibolinhos. O máximo do trabalho é comprar forma própria e forminhas de papel, do resto é diversão. E outra: erre à vontade! Cupcake é assim, brincar, errar e se sujar! Boa diversão!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

[Leituras Compartilhadas] de janeiro: o resultado

A votação teve muitos momentos... Os dois livros ficaram na frente em algum momento, depois empataram por um tempo, até que o vencedor abriu uma pequena vantagem... ampliou e... assim temos o livro para o nosso clube de janeiro.

O encontro será na Livraria da Vila da Fradique Coutinho, no dia 22 de janeiro, a partir das 19h!

E o livro eleito é...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

[Drops] 100 melhores cervejas brasileiras, As – Maurício Beltramelli

100 melhoresComo bom morador de espírito da Vila Madalena, sou um boêmio nato, e dito isso, há uma modesta biblioteca de bebidas na minha estante que algum dia eu, assim como fiz com os livros de cinema, revelo a vocês. Mas por enquanto fiquemos com uma pequena amostra da minha última aquisição, que é na verdade um livro muito básico, mas que ainda não existia: Uma lista com as melhores cervejas… do Brasil. Sim, temos o 1001 cervejas para beber antes de morrer, mas até o último folio da edição em inglês, pois a nacional deve estar desatualizada, as nossas nacionais não figuravam em boa escala. Por isso a comemoração de ver um livro nacional se prestar ao serviço de elencar alguma das melhores para que aqueles que adentrem no mundo do malte consigam ter um norte para a degustar.

O autor da lista é o sommerlier Maurício Beltramelli, que é proprietário de um bar de renome em Campinas, o Brejas (sugestivo não?), e apesar do subtítulo descrever como “Uma seleção para iniciantes e iniciados”, ele puxa o texto muito mais para os iniciantes, deixando para os iniciados mais uma seleção de bebidas e histórias para complementar a busca pela cerveja perfeita. A introdução do livro é um guia prático do que buscar ao se deparar com uma nova cerveja: o amargor, a corpo, temperatura ideal e até mesmo o copo para melhor degustação. Há todo um setor destinado a descrever o design do copo, o que eu pessoalmente achei excelente. Entretanto o livro faz uma omissão estranha, ainda que justifique, ao não dar a base das principais diferenças entre cervejas. Ele não explica a diferença básica entre American Lager (Skol, Brahma, Antarctica, etc) e Pilsen (Heineken). O livro se defende ao dizer que existem 120 tipos diferentes de classificação e ainda indica onde podemos encontrar para se aprofundar, mas poderia ter uma introdução para apontar as mais básicas como Lager, Ale, Stout e Weiss.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

[Colaboradora] Fifty shades of chicken

Por: Danusa Penna
Parece que tudo já foi falado sobre o livro, e futuramente em filme, Cinquenta Tons de Cinza. A obra conta a história entre Anastasia e Grey com toques de submissão. O livro fez tanto sucesso que não é raro encontrar milhares de moças lendo-o "ainda" no metro. Entre vários "amo" e "odeio", particularmente não curto este tipo de livro. Minha pegada é mais um bom Henry Miller com sua escrita nervosa. Enquanto havia o estardalhaço do livro, fizeram muitas paródias, como o que temos em mãos: Fifty Shades of Chicken

Agora sim posso falar do meu conhecimento. O conteúdo do livro tem o que chamamos de food porn: comidas onde ostentam as gorduras e as calorias e são fotografadas com insinuação pornográfica. E Fifty shades of Chicken tem várias fotos com este conteúdo: frangos gordurosos pingando, homens com barriga tanquinho destrinchando frango e até uma leve sodomização com franguinhos amarrados. Vejam este belo texto do frango sendo fotografado abaixo. 


"Blades entra na cozinha, acompanhado de um rapaz vestido com uma camisa marrom-clara e calças acinzentadas, cor de pedra, com pequenas argolas em cada uma de suas grandes orelhas. Ele é alto e esbelto, com olhos fundos e escuros. Seu cabelo é bagunçado e estranhamente mal arrumado, e ele tem um olhar desesperado, faminto.
É o nosso editor, Wiley.
“E então, é essa a ave?” Seus olhos parecem quase sair das órbitas.
Blades fica tenso. “Sim, esse é o meu frango.” Sua voz deixa bem clara quem manda neste assado.
Wiley inclina sua cabeça de um lado para o outro de uma maneira desconfortavelmente familiar. “Eu gostaria de tirar algumas fotos enquanto estou aqui. Apenas para referência, é claro.”

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

[Leituras Compartilhadas]: A votação!

O último [Leituras Compartilhadas] deste ano aconteceu ontem. Discutimos O torreão e, ao final do encontro, como sempre fazemos, abrimos a votação para o próximo encontro (que acontecerá em janeiro). Acontece que tivemos um empate entre dois candidatos!

E AGORA?


quinta-feira, 27 de novembro de 2014

XVI Festa do Livro da USP - Lista de editoras

O ano está acabando (eu ouvi um aleluia?) e nessa época acontece um dos eventos favoritos do pessoal do blog, o momento da despirocada consumista, da insanidade bibliófila, da ruína financeira... A Festa do Livro da USP.

Para quem é de São Paulo e AINDA não conhece a maravilha, a gente explica. É uma grande feira do livro, em que você, querido leitor, compra diretamente das editoras que dão pinta por lá. E não é só isso! Tem desconto! E desconto bom, desconto bonito... A partir de 50%. Isso mesmo amiguinhos!!!!

A Festa do Livro está em sua 16ª edição e acontece nos dias 10,11 e 12 de dezembro (de quarta a sexta-feira). Como nos últimos anos, ela será na Escola Polítécnica (o complexo de Engenharia da USP), que fica na Avenida Professor Luciano Gualberto, 380 - travessa 3, ou Avenida Professor Mello Moraes, 2231.

Este ano as mesas das 153 editoras se espalharão em 3 prédios da Politécnica: Civil, Mecânica e Elétrica; o que pode deixar a coisa mais confortável  e menos muvucada (ano passado foram usados os prédios da Civil e da Mecânica).

Por enquanto temos apenas a lista das editoras. Normalmente algumas delas divulgam o que levarão para feira (isso acontece quando a editora não leva todo o catálogo). Então, quando tivermos alguma novidade, colocaremos aqui.

Mas vamos à lista: